Compartilhar

 

O mês de outubro, é mundialmente conhecido como o Outubro Rosa. Época de mobilização de para que informações preventivas sejam disseminadas, além de alertar a sociedade sobre um diagnóstico precoce do câncer de mama e do colo do útero.

O câncer e mama é um tumor que se desenvolve na região dos seios, por consequência de alterações genéticas sofridas em algum conjunto de células do órgão que passam a se dividir em processo desequilibrado.

A doença que se forma nas células das mamas, pode ocorrer tanto em mulheres, quanto nos homens, entretanto para o sexo masculino é considerado uma opção mais rara de acontecer.

Desta forma, o câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres, corresponde cerca de 25% dos casos novos de câncer a cada ano. O percentual revela que 29% dos casos, estão entre as brasileiras.

Neste artigo, iremos abordar a principal proposta do Outubro Rosa. Tal Campanha vem desempenhando um papel fundamental na vida de muitas mulheres em benefício da saúde.

 

O que é Outubro Rosa?

 

Conforme já visto, o Outubro Rosa é uma campanha que visa conscientizar por meio de um alerta com foco principalmente no público feminino, sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e colo do útero.

 

Como surgiu o Outubro Rosa?

 

Em 1990, um evento chamado "Corrida pela cura" aconteceu em Nova Iorque para arrecadar fundos para a pesquisa realizada pela instituição Susan G. Komen Breast Cancer Foundation.

Entretanto, tal episódio ocorreu sem que houvessem instituições públicas ou privadas envolvidas.

Com a expansão do movimento, o mês de outubro foi instituído para a conscientização nacional apenas nos Estados Unidos. Logo após, a campanha começou a se espalhar para o resto do mundo.

A primeira ação no Brasil aconteceu em 2002, no parque Ibirapuera, em São Paulo. Com a iluminação cor-de-rosa do Obelisco Mausoléu ao Soldado Constitucionalista.

Anos mais tarde, mais precisamente em 2008, as iniciativas em favor da ação, tornaram-se cada vez mais frequentes. Diversas entidades relacionadas ao câncer passaram a iluminar prédios e monumentos, transmitindo uma única mensagem: a prevenção é necessária.

A partir de 2011, começaram a ocorrer também campanhas sobre o câncer de colo do útero em diversos estados. A publicidade adotou o tom de rosa como motivador de campanhas no período, e ações em mídias sociais também tendem a ser reforçadas durante este mês.

 

A importância do Outubro Rosa

    

Outubro Rosa | Fitmoda

     

O câncer de mama é a doença que mais mata mulheres no Brasil atualmente.

Sendo assim, durante o mês, o tema é veiculado para encorajar mulheres a realizarem seus exames. Iniciativas como essa são fundamentais para a prevenção, visto que nos estágios iniciais, a doença é assintomática.

Quanto mais cedo o diagnóstico, mais chances se têm de vencer a doença ao conquistar a cura.

O tumor maligno pode ser detectado através do exame clínico das mamas. Neste exame poderão ser identificadas alterações podendo ter um auxílio de um exame mais específico, como a mamografia, um raio X que permite descobrir o câncer quando o tumor ainda é bem pequeno.

O câncer de mama pode identificar diversos sintomas, mas pode também ser assintomático para muitas mulheres.

Nota-se, que é importante portanto, que a mulher conheça bem o seu corpo e possa analisar com frequência através do toque, qualquer alteração nas mamas e procurar o médico ao notar alguma anormalidade.

 

Possíveis sinais e sintomas do Câncer de Mama

    

  • alterações no tamanho ou forma da mama;
  • nódulo único e endurecido;
  • vermelhidão, inchaço, calor ou dor na pele da mama, mesmo sem a presença de nódulo;
  • nódulo ou caroço na mama, que está sempre presente e não diminui de tamanho;
  • sensação de massa ou nódulo em uma das mamas;
  • sensação de nódulo aumentado na axila;
  • espessamento ou retração da pele ou do mamilo;
  • secreção sanguinolenta ou aquosa nos mamilos;
  • assimetria entre as duas mamas;
  • presença de um sulco na mama, como se fosse um afundamento de uma parte da mama;
  • endurecimento da pele da mama, semelhante a casca de laranja;
  • coceira frequente na mama ou no mamilo;
  • formação de crostas ou feridas na pele junto do mamilo;
  • inversão do mamilo;
  • inchaço do braço;
  • dor na mama ou no mamilo.

    

O aparecimento dos elementos acima com anomalia, pode ocorrer de forma isolada ou simultânea.

 É importante lembrar que os sinais nem sempre indicam a presença de um câncer, sendo necessário consultar um médico para ter o diagnóstico exato.

 

Quais são os fatores de risco para o Câncer de Mama?

    

Outubro Rosa | Fitmoda

     

Histórico familiar (risco genético)

 

  • Dois ou mais parentes de primeiro grau com câncer de mama;
  • Um parente de primeiro grau e dois ou mais parentes de segundo ou terceiro grau com a doença;
  • Dois parentes de primeiro grau com esse tipo de câncer, sendo que um teve a doença antes de 45 anos;
  • Um parente de primeiro grau com câncer de mama bilateral;
  • Um parente de primeiro grau com a doença e um ou mais parentes com câncer de ovário;
  • Um parente de segundo ou terceiro grau com câncer de mama e dois ou mais com câncer de ovário;
  • Três ou mais parentes de segundo ou terceiro grau com a doença;
  • E dois parentes de segundo ou terceiro grau com câncer de mama e um ou mais com câncer de ovário.

 

Idade

 

Mulheres entre 40 e 69 anos indicam a faixa etária das principais vítimas, porque a exposição ao hormônio estrógeno está no auge com a chegada dessa idade. A partir dos 50 anos, particularmente, os riscos entram em uma curva ascendente.

 

Menstruação precoce

 

No início do período da menstruação que o corpo da mulher passa a produzir quantidades maiores do hormônio estrógeno.

Esse hormônio em quantidades alteradas facilita a proliferação desordenada de células mamárias, resultando em um tumor.

Quanto mais intensa e duradoura é a ação do hormônio nas células mamárias, maior é a probabilidade de um tumor.

Se a primeira menstruação ocorre por volta dos 9 ou 10 anos de idade, é porque os ovários intensificaram a produção do hormônio cedo e, assim, o organismo ficará exposto ao estrógeno por mais tempo no decorrer da vida.

 

Menopausa tardia

 

Uma vez que a menstruação não cessa, os ovários continuam a produzir o estrógeno, deixando as glândulas mamárias mais expostas ao crescimento celular desordenado.

 

Reposição hormonal

 

Muitas mulheres procuram a reposição hormonal para diminuir os sintomas da menopausa. Entretanto, essa reposição, principalmente de esteroides, como estrógeno e progesterona, pode aumentar as chances.

Na menopausa, os tecidos ficam ainda mais sensíveis à ação do estrógeno, já que os níveis desse hormônio estão baixos devido à ausência de sua produção pelo ovário.

Como alternativa à reposição hormonal, é indicada a prática de exercícios físicos e uma dieta balanceada.

 

Colesterol alto

 

O colesterol é a gordura que serve de matéria prima para a fabricação do estrógeno. Logo, mulheres que altos níveis de colesterol tendem a produzir esse hormônio em maior quantidade, aumentando o risco de câncer de mama.

 

Obesidade

 

Esta é um fator de risco para o câncer de mama principalmente após a menopausa. Isso ocorre porque a partir dessa idade o tecido gorduroso passa a atuar como uma nova forma de produzir esses hormônios.

Sob a ação de enzimas, a gordura armazenada nas mamas, por exemplo, é convertida em estrógeno.

O alerta é mais sério para aquelas que apresentam um índice de massa corporal, o IMC, igual ou superior a 30.

 

Ausência de gravidez

 

Mulheres que nunca tiveram filhos têm mais chances devido à ausência de amamentação. Ao amamentar, a mulher estimula as glândulas mamárias e diminui a quantidade de hormônios, como o estrógeno, em sua corrente sanguínea.

 

Lesões de risco

 

Já ter apresentado algum tipo de alteração na mama não relacionada ao câncer de mama também pode aumentar as chances do surgimento de tumores.

Dessa forma, pequenos cistos ou calcificações encontrados na mama, ainda que benignos, devem ser acompanhados com atenção.

 

Tumor de mama anterior

 

Pacientes que já tiveram câncer de mama têm mais chances de apresentar outro tumor. Nesse caso é chamado de câncer recidivo ou que sofreu uma recidiva.

 

Quais são os tratamentos indicados para o Câncer de Mama?

 

Os tratamentos indicados para combater o câncer de mama são diversos. O método a ser adotado deverá ser definido pelo médico, de acordo com a análise dos exames realizados e pelos dados fornecidos pelo médico, após a realização de biópsia.

A paciente deve ser informada sobre as melhores possibilidades de tratamento existentes para o seu caso, ainda que não se tenha recursos para eleger o tipo de intervenção.

Tipos de tratamentos para o câncer de mama:

    

  • Quimioterapia
  • Hormonioterapia
  • Imunoterapia

    

Métodos de Prevenção ao Câncer de Mama

    

Outubro Rosa | Fitmoda

     

O câncer de mama não é uma doença totalmente prevenível em função da variação dos fatores relacionados ao seu surgimento e ao fato de que muitos deles não são atitudes que podem mudar.

Estatísticas apontadas por estudos com participação do Ministério da Saúde em apoio à campanha do Outubro Rosa indicam que a maioria dos óbitos originados pelo câncer, poderiam ser evitados caso as pessoas se envolvesse regularmente com atividades físicas.

Além de proporcionar uma melhor qualidade de vida através da saúde, as informações evidenciam outra vantagem da prática de atividades, a melhora do metabolismo de alguns hormônios relacionados com a doença, que são capazes de evitar ou melhorar o quadro de um paciente.

Mas vale lembrar que é indispensável o acompanhamento de um médico especializado para que ele avalie e oriente sobre a prática das atividades, principalmente quando já iniciado o tratamento.

Assim, destaca-se a importância de evitar riscos sendo necessário o acompanhamento também de um educador físico para habilitar a pratica de certos exercícios.

Os benefícios de uma rotina de treinos são diversos, tanto para quem deseja a prevenção, quanto para quem está em busca da cura e até mesmo para que se diminua a recorrência da doença.

O corpo se vê em completo bem-estar e assim, os cuidados com a saúde como um todo, contribuem para o equilíbrio dos sistemas, bom funcionamento do metabolismo e consequentemente a redução de riscos do aparecimento de outras possíveis enfermidades.

Logo, o sedentarismo é completamente nocivo à saúde e somado aos maus hábitos, pode complicar ainda mais o quadro da doença.

Por infelicidade, estima-se que 6,5% dos óbitos por câncer de mama são indicados pelos maus hábitos alimentares através do consumo de álcool, índice alto de massa corporal, além de grande concentração de açúcar no organismo.

Com tais dados, destaca-se a altíssima importância manter uma alimentação balanceada, em conjunto à pratica dos exercícios numa frequência de pelo menos 3 vezes na semana.

Os treinos por sua vez, tem por função aumentar a força muscular e a capacidade funcional, além de contribuírem para o controle do peso, redução da fadiga e melhora da autoestima como um todo.

Todavia, a prevenção baseia-se no controle dos fatores de risco e no estímulo aos fatores protetores, especificamente aqueles que podem ser alterados com a inserção de hábitos saudáveis na rotina.

    

  • alimente-se bem e não fique muito tempo sem comer, ou seja, coma de três em três horas, em pequenas quantidades, sempre priorizando os alimentos naturais e frescos ao invés dos alimentos industrializados;
  • evite o excesso de gorduras e carboidratos simples, como açúcar adicionado aos alimentos, doces, sucos de caixinha ou saquinho, refrigerantes, pão branco, macarrão, sempre preferindo as opções integrais;
  • procure ingerir proteínas de boa qualidade, principalmente frutas, legumes e verduras por serem fontes de vitaminas e minerais essenciais e ricas em fibras que ajudam na saciedade e no funcionamento adequado do intestino;
  • planeje o seu dia alimentar e tente segui-lo;
  • pratique exercícios físicos durante a semana. O ideal são 150 minutos de atividades físicas moderadas ou 75 minutos de atividades vigorosas divididas pelos dias da semana.

    

 

Conclusão

    

Outubro Rosa | Fitmoda

     

O Outubro Rosa é um dos movimentos de maior mobilização e respeito entre todos os povos mundialmente. O mundo se une no mês por uma causa nobre: Diagnosticar precocemente e prevenir.

Muitas das vezes, a desinformação se torna o grande problema, em outros casos, é preciso apenas encorajar e apoiar certas atitudes.

Quebre esse tabu, previne-se sem medo de lutar por sua vida! Então, que tal adotar novos hábitos para o seu dia a dia?

A Fitmoda que é a sua parceira de todas as horas te informa, se preocupa e cuida de você: SE TOCA FITGIRL!

O amor próprio começa nos detalhes. Cuidar-se é a melhor forma de ser amor, gratidão e felicidade!

Confira também:

Vitamina D: Dicas e Benefícios

Como Melhorar a Imunidade [GUIA COMPLETO]

Colágeno: dicas e benefícios

Reeducação Alimentar

Compartilhe:

Perguntas e respostas

Artigos Relacionados
Recomendamos para você
Glossário
Segurança
  • Norton Secured
Formas de Pagamento
Credibilidade
Baixe o APP grátis!
Não vai ocupar espaço no seu telefone.
Abrir Whatsapp